terça-feira, 21 de dezembro de 2010

PAPAI NOEL VESTIDO DE POLICIAL SERIA ÓTIMO!


A operação policial desencadeada pela DRACO (Delegacia de Repressão ao Crime Organizado) hoje em Caxias, Baixada Fluminense, prendeu dois vereadores da cidade e desbaratou uma quadrilha que formava milícias para explorar comunidades carentes e criar “currais eleitorais.”
O curioso é que entre os presos estava o vereador JONAS GONÇALVES DA SILVA, “o Jonas é nóis”. Expressão que ficou famosa em Angra por ser usada pela quadrilha de políticos angrenses para se identificarem para a população carente. Lembram do “ETERNO LADRÃO” usando o jargão: “é nóis!”
Bem que o Doutor Cláudio Ferraz delegado da DRACO, que por ter o mesmo sobrenome, acho que é irmão da nossa impávida juíza Juliana Ferraz poderia nos fazer uma visita profissional, não acham?

AS MENTIRAS IMPOSTAS PELA MÍDIA GORDA


por Correio da Cidadania
Para sediar a Copa e os Jogos Olímpicos a FIFA exige que o Brasil construa novos estádios de futebol.

Trata-se de uma chantagem. O Brasil já possui estádios suficientes para abrigar os públicos interno e externo que irão assistir a esses eventos.

Além dos estádios, a FIFA exige que o Brasil amplie seus aeroportos – gasto igualmente desnecessário.

Sem dúvida, o esporte é uma atividade importante e merece a atenção do poder público. Contudo, um país que não consegue sequer alimentar adequadamente todo o seu povo precisa alocar os escassos recursos do seu orçamento em obras mais urgentes.

É pouco provável, entretanto, que o bom senso prevaleça. A grande massa apóia o gasto e, além disso, propiciará polpudos contratos com empreiteiras e muita especulação imobiliária – uma conjugação de muito poderosos interesses.

Tão certos estão os empresários da efetivação de tais gastos que os preços dos terrenos nas regiões em que serão construídos os estádios já aumentaram substancialmente. Para isto contribui o governo, que já iniciou a higienização social dos bairros onde se localizarão os estádios. Negros, pardos, cafusos e brancos pobres já foram advertidos de que não se tolerará qualquer tipo de comportamento que venha a incomodar os turistas.

A recente operação policial-militar realizada nos morros do Rio de Janeiro não teve, na verdade, o objetivo de prender narcotraficantes. A Polícia sabe muito bem que os chefes do narco não moram nos morros do Rio, mas nos luxuosos apartamentos da Vieira Souto. Nos morros moram os sargentos e soldados desse exército criminoso.

Os primeiros, instalados no alto dos morros, com visão total da aproximação dos veículos policiais, obviamente escaparam a tempo. Ficaram os soldados, estes que vimos correndo desesperados, no show televisivo que a mídia encenou a fim de que a advertência extrapolasse o Rio de Janeiro e atingisse os pobres de todo o país.

Um gráfico dos locais nos quais foram instalados os quartéis da UPP (Unidade de Policia Pacificadora) coincide exatamente com a proximidade entre favelas e bairros elegantes. Nos morros mais distantes não se cogitou disso.

Urge fazer um movimento de opinião para bloquear a negociata. O Brasil não tem porque curvar-se a uma corja de cartolas que vivem da exploração do fascínio que o esporte desperta em todos nós.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

O POETA, A ILHA SOCIALISTA E SUAS TRANSFORMAÇÕES


A história do escritor e jornalista Félix Contreras confunde-se com a da revolução que ajudou a tornar realidade. Por isso mesmo ele não tem pudor em criticá-la, para que o socialismo em Cuba se transforme permanentemente.

Por Tatiana Merlino

A mãe era analfabeta. A família, negra e pobre. Foi num dia de dezembro de 1939, na província de Pinar del Río, no ocidente da ilha de Cuba, que nasceu Félix Contreras, “um filho da fome”, como ele se define. A pobreza conduzia a família por uma vida itinerante. No ritmo das safras de cana, de tomate, de tabaco, percorriam aquela Cuba então miserável.

Muito bonita, a mãe dormiu com um homem de família rica por dinheiro. “Foi a trepada da fome”. Nove meses depois, veio ao mundo o poeta, pesquisador, jornalista e escritor cubano. Com inúmeros livros publicados (perdeu a conta de quantos) sobre música, poesia e jornalismo, e uma enorme paixão por Cuba e pelo socialismo cubano, ele esteve no Brasil pela quinta vez entre outubro e novembro deste ano. Na estadia de dois meses, participou de atividades culturais em São Paulo e Rio de Janeiro e divulgou seu livro Eu conheci Benny Moré, uma obra sobre a vida e trabalho do artista. Félix é autor, também, de livros importantes como La música cubana, uma cuestión personal e Porque tienen filin. O poeta cubano ainda biografou o pianista e compositor Bola de Nieve para a editora Cosac Naify, que deve lançá-lo no início do ano que vem.

O jornalista já afirmou, em entrevistas, e reafirmou na nossa conversa, que ama a revolução e morreria por ela, mas quer estar vivo para transformá-la. “As coisas acabam ficando velhas. Em um processo revolucionário, a cada dez anos, as coisas mudam”. Entre as mudanças, ele apóia as transformações na economia cubana aprovadas recentemente – em 13 de setembro, o governo anunciou a demissão de 500 mil servidores públicos e o estímulo à formação de cooperativas ou à iniciativa econômica pessoal.

O homem magro, de bigode grisalho, sobrancelhas descabeladas e igualmente grisalhas define-se como um rebelde nato. Talvez o seja mesmo, pois ele ousa criticar aspectos do socialismo cubano (pela esquerda, é claro) mesmo Cuba sendo um tema que polariza opiniões, no geral passionais, contra ou a favor da ilha de Fidel. Mas, como bom revolucionário, o escritor critica o sistema socialista para que ele melhore. “Eu gosto que a revolução mude com os revolucionários e não com os inimigos. Mas, quando um revolucionário tem vontade de mudança, sempre é olhado com desconfiança. E eu não sei a causa disso. Me chama muito a atenção o fato de a esquerda não gostar da crítica”, alfineta.

Usando óculos e uma boina, que tira na metade da conversa, e segurando um charuto que não acendeu durante a entrevista de três horas, Félix defende as conquistas da Revolução Cubana, que ele, como guerrilheiro, ajudou a triunfar. Com a vitória da revolução e a derrubada da ditadura de Fulgêncio Batista, em 1° de janeiro de 1959, a vida do filho da fome mudou completamente. “O país começou a se transformar, em 59 mesmo acabou o desemprego”.

Mas, do ano em que nasceu até a vitória dos barbudos rebeldes, passaram-se duas décadas, de muitas dificuldades. Aos cinco anos, a mãe foi embora. O menino foi adotado por um casal de parentes. A felicidade da criança que achava que ia ter pai e mãe durou quatro anos, pois. Aos nove, foi tirada da escola e obrigada a trabalhar numa loja de frutas e verduras recém-adquirida pelo pai adotivo. “Fiquei na escravidão. Não é uma metáfora, era literalmente na escravidão, das seis da manhã às oito da noite”.
A situação do menino deixava a avó revoltada, que sempre dizia: “Filho da puta do seu pai, tem dinheiro e você aqui, trabalhando como um escravo”. Um dia, o garoto achou que era hora de dar um basta: “Vou me matar”, disse à avó. “Não, não. Lá nas montanhas, na costa norte de Pinar del Río, há um povoado que se chama San Diego de los Baños. Ali há águas termais. Há muitos turistas dos Estados Unidos e Europa. Lá fica a família do seu pai biológico. Peça ajuda a ele”, disse, encorajando o neto, já adolescente.

Foi então que em 1957, aos 18 anos, o jovem pulou a janela de casa e fugiu. “Eu era muito rebelde. Nasci com essa sorte debaixo do braço”. Ao chegar ao vilarejo, Félix encontrou o irmão de seu pai, que era dono de um hotel. E por ali ficou. Comia bem, estudava de manhã. À tarde e de noite, trabalhava no bar do hotel. “Eu estudava, lia, comprava livros”. Também recebia gorjeta dos turistas. E enganava os visitantes estadunidenses, contra quem nutria antipatia desde a infância. O truque era vender-lhes bilhetes de loteria já usados. Certa vez, numa visita à avó em Pinar del Río, perguntou sobre um amigo. “Foi morto”. Sobre outro. “A ditadura matou”. Era o ano de 1958, e o regime de
Batista torturava e matava opositores.

O jovem não teve dúvida. Entrou na luta armada. Especificamente, na guerrilha urbana, em uma célula clandestina. “Eu não tinha consciência política nenhuma, somente um sentimento de justiça, de solidariedade”. Durante seu tempo de militância, uma das tarefas revolucionárias que lhe foram incumbidas foi arrumar um trabalho numa farmácia. Então, ele conseguiu emprego na maior farmácia da cidade, e, nas noites de plantão do estabelecimento, separava pacotes de algodão, sabonete e mercúrio e levava aos homens da guerrilha de Fidel Castro. Os sacrifícios do período de guerrilheiro valeram a pena. “Você não pode acreditar os benefícios que a revolução trouxe à Cuba, e de um modo tão radical...”.

Para ler a reportagem completa e outras matérias confira a edição de novembro da revista Caros Amigos

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

VILMA DEVE VOLTAR PARA CASA HOJE


Depois de amargar 02 longos meses de reclusão na penitenciária Nelson Hungria, Vilma dos Santos deve retornar ao seu lar hoje. Como eu previ, ela só seria libertada após a conclusão da instrução do processo, como é de praxe quando ocorre o crime de coação no curso do processo.
Espero que a prisão de Vilma sirva de lição para todos os políticos desta cidade, e que aprendam de uma vez por todas que vivemos sob o império da Lei.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

NENSEEEEEEE!!!!!!!!!!!!


Se Deus existe ele deve ter assistido o jogo do tricolor das Laranjeiras ao lado de NELSON RODRIGUES se deliciando com suas frases antológicas.

“Se o Fluminense jogasse no céu, eu morreria para vê-lo jogar”.

“A Grande Guerra seria apenas a paisagem, apenas o fundo das nossas botinadas. Enquanto morria um mundo e começava outro, eu só via o Fluminense”.


“O Flamengo tem mais torcida, o Fluminense tem mais gente!”.


“Pode-se identificar um Tricolor entre milhares, entre milhões. Ele se distingue dos demais por uma irradiação específica e deslumbradora”.


“Se quereis saber o futuro do Fluminense, olhai para o seu passado. A história tricolor traduz a predestinação para a glória”.


“O Fluminense é o único time tricolor do mundo. O resto são só times de três cores”.


“Nas situações de rotina, um `pó-de-arroz’ pode ficar em casa abanando-se com a Revista do Rádio. Mas quando o Fluminense precisa de número, acontece o suave milagre: os tricolores vivos, doentes e mortos aparecem. Os vivos saem de suas casas, os doentes de suas camas e os mortos de suas tumba”.


“Eu vos digo que o melhor time é o Fluminense. E podem me dizer que os fatos provam o contrário, que eu vos respondo: pior para os fato”.


“Grandes são os outros, o Fluminense é enorme”.


“Uma torcida não vale a pena pela sua expressão numérica. Ela vive e influi no destino das batalhas pela força do sentimento. E a torcida tricolor leva um imperecível estandarte de paixão”.


“Ser tricolor não é uma questão de gosto ou opção, mas um acontecimento de fundo metafísico, um arranjo cósmico ao qual não se pode – e nem se deseja – fugir”.


“Sou tricolor, sempre fui tricolor. Eu diria que já era Fluminense em vidas passadas, muito antes da presente encarnação”.


“O Fluminense nasceu com a vocação da eternidade…tudo pode passar…só o tricolor não passará jamais”.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

INVERSÃO DE VALORES


A desordem moral que tomou conta de Angra dos Reis tem origem mais em cima; já não me causa espanto o apoio dos vereadores do PT a um vereador condenado em última instância pelo infame crime de apropriação indébita para a presidência da casa do povo.
Vejam, por exemplo, o apoio incondicional do Planalto ao Clã Sarney. A promiscua aliança que levou o Planalto a atuar diretamente no julgamento de Jackson Lagos pelo STF, na injusta cassação de seu mandato de governador e na sua conseqüente inelegibilidade, o que o tirou da última disputa pelo governo do estado do Maranhão.
Aqui em Angra, como no Planalto Central, existe uma aliança promiscua que nivela todos os políticos por baixo. Os vereadores que deveriam ser um grupo de legisladores e fiscais do Executivo agem como se fossem meros vassalos do Boneco de Ventríloquo; mais parecendo aqueles pigmeus que habitavam a ilha “liliput” em que Gulliver aportou como naufrago no clássico romance de Jonathan Swift: todos visando seus próprios interesses e preocupados com questões sem qualquer relevância para o povo angrense.
Mas, o que mais nos dói, é que nós que acreditamos numa mudança política profunda em nossa sociedade, ajudamos a eleger os três vereadores que se intitulam oposição a este desgoverno corrupto e incompetente do Boneco de Ventríloquo:
A advogada Maria da Guia desde o primeiro momento se demonstrou leniente com este desgoverno, certamente para não atrapalhar os negócios do marido, contudo, num ato da mais alta traição aos que, como eu, votaram em sua legenda.
O senhor Cordeiro que no inicio parecia que seria nosso Don Quixote, hoje é a forma mais caricata do fisiologismo e da defesa dos interesses pessoais; talvez por falta de conhecimento, pois, é necessário saber para fazer.
E por último o Doutor Wilson Peixoto, essa figura que mais parece um sacerdote que atua com um conciliador, mas, que no fundo defende os mais tristes e sórdidos interesses do governo do Boneco de Ventríloquo com sua inoperância política de irritar até os menos esclarecidos; é duro ver um vereador com qualidades intelectuais para atuar com desenvoltura sua nobre tarefa política subir no púlpito e dar conselho a um bandido condenado pela Justiça. Tive que segurar meu asco, apesar de não ter hábito de vomitar.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

A SOCIALDEMOCRACIA E MARX


Karl Marx tinha menos de 30 anos quando escreveu com Friedrich Engels o Manifesto Comunista, e com 60 anos, portanto com muito mais experiência quando escreveu a carta que Friedrich Engels publicou após sua morte com o título de “Crítica ao Programa de Gotha”. Esse programa estava sendo discutido pelas duas correntes políticas que depois se fundiriam para criar o Partido Socialdemocrata alemão, que até hoje está em plena atividade. Marx fez várias reflexões sobre o programa socialdemocrata, mas elas não foram levadas em conta pelos fundadores da socialdemocracia.

São 04 as observações que me despertam a atenção na crítica de Marx: Em primeiro lugar, ele dar muito menos ênfase ao caminho insurrecional (revolução) e muito mais ênfase ao caminho eleitoral para a implantação do socialismo do que, por exemplo, no Manifesto Comunista.

Em segundo lugar, ele prega a necessidade absoluta da liberdade de expressão e da liberdade de imprensa em todos os níveis. Aqui temos de levar em conta que, na época de Marx, a imprensa era muito mais crítica dos poderes vigentes do que é hoje em dia. Não sabemos se, hoje em dia, Marx defenderia a liberdade de expressão dos racistas, dos nazistas, como é permitida nos Estados Unidos, ou se a proibiria, pelo menos veladamente, como acontece no Brasil e na Alemanha de hoje.

Terceiro, Marx defende a necessidade absoluta da educação pública e gratuita para todos e principalmente para as crianças. Entretanto, se deve esclarecer que, para Marx, o “público” não se confunde com o “estatal”. Para ele, o caráter público da educação pública, e por extensão da saúde pública e da empresa pública, não se tratava de serviços proporcionados e administrados por órgãos estatais, e sim proporcionados e administrados por todos os membros do público, da sociedade em geral. Marx estava longe de imaginar que o socialismo iria, como acabou sendo no extinto socialismo real implantado pelos burocratas da URSS, regido por aparelhos, órgãos e empresas estatais sob a direção de corpos de elite de burocratas. Pelo contrário, achava é que toda a sociedade, composta por indivíduos livres e iguais, é que deveria ir assumindo as funções que vinham sendo executadas pelo Estado.

Do mesmo modo que Marx não pensou na possibilidade de, no processo eleitoral, a maioria da população não querer a implantação do socialismo, ou de essa maioria se voltar contra o socialismo após ele ter sido implantado, também não pensou na possibilidade de a maioria da população não se interessar pela administração da coisa pública, seja no socialismo, seja no capitalismo ou seja no regime que for. Aqui devemos lembrar que, para Friedrich Engels, a diminuição da jornada do trabalho implicaria mais intensa participação política por parte de cada trabalhador, que teria tempo cada vez maior para fazer política. No entanto, notamos que a grande maioria das pessoas prefere dedicar ao lazer, e não à atividade pública, a maior parte do seu tempo livre; talvez pelo prazer consumista implantado pelo capitalismo.

Em quarto lugar, finalmente, quando Marx fala em “ditadura do proletariado”, como fase transitória da passagem do capitalismo para o socialismo, ele não está se referindo a um regime autoritário, sim a um regime com plena liberdade de expressão e de organização, exatamente como acontece nos regimes capitalistas mais avançados, as chamadas democracias burguesas (países escandinavos), em que para Marx prevalece a “ditadura da burguesia”.

Podemos dizer que, nesta crítica efetuada por Marx, a “ditadura do proletariado” difere da “ditadura da burguesia” exatamente por ir progressivamente democratizando o controle de toda a sociedade sobre os órgãos e empresas estatais. Se isso é ou não uma utopia, é outra conversa. É importante discutir como os seres humanos poderiam viver melhor, contudo isso não deve eliminar a necessidade de verificar concretamente como as pessoas vivem e como gostariam de viver.

Para nós socialistas, o mais impressionante é que apenas o tempo equivalente três vidas de 45 anos até agora nos separa dessas cogitações tão atual de Karl Marx.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

DE CAMARADA MAO TSÉ-TUNG


Um marxista deve ser aberto e franco, leal e ativo, deve colocar os interesses da revolução acima de sua própria vida e subordinar os interesses pessoais aos interesses da revolução. Em todos os momentos, seja onde for que se encontre, ele deve ater-se aos princípios justos e travar uma luta sem tréguas contra todas as idéias e ações errôneas, de modo a consolidar a vida coletiva da revolução e reforçar os laços existentes entre esta e as massas; um marxista deve preocupar-se mais com as idéias e as massas do que com qualquer indivíduo, e deve atender mais aos outros do que a si próprio. Só um indivíduo assim pode ser considerado marxista. É necessário fazer compreender a todos os camaradas que o critério supremo para julgar as palavras e atos de um marxista está em saber se eles conformam com os mais altos interesses da esmagadora maioria do povo e se beneficiam do apoio dessa maioria. Em nenhum momento e em nenhuma circunstância um marxista deve colocar os seus interesses pessoais em primeiro plano; pelo contrário, ele deve subordiná-los sempre aos interesses da nação e das massas populares. É por isso que o egoísmo, o relaxamento no trabalho, a corrupção, o exibicionismo, etc, merecem o maior dos desprezos, enquanto que a entrega desinteressada, o ardor no trabalho, devoção à causa pública, o esforço intenso e tenaz merecem todo o respeito. Seja em que momento for, um marxista deve estar pronto a persistir na verdade, pois a verdade concorda sempre com os interesses do povo; em todos os momentos um marxista deve estar pronto a corrigir os seus erros, pois todo erro é contrário aos interesses do povo.

(Camarada Mao Tsé-Tung )

terça-feira, 23 de novembro de 2010

PARA INGLÊS VER


O médico Roger Abdelmassih foi condenado na tarde desta terça-feira a 278 anos de prisão. Acusado de ter abusado de pacientes de sua clínica de reprodução, ele pretende recorrer da decisão. A sentença foi proferida pela juíza Kenarik Boujikian Felippe.
Apesar de a sentença prever 278 anos de reclusão, no Brasil o condenado só pode permanecer 30 anos recluso.
Aposto que o canalha travestido de médico não ficará um dia sequer na cadeia; como possui uma fortuna considerável ele certamente recorrerá até a Suprema Corte utilizando todos os meios para procrastinar o curso do processo. Sendo um ancião, que teria com muita sorte mais uns 20 anos de sobrevida, não haverá tempo hábil para a sentença final ser aplicada antes da sua morte.
É o nosso glorioso sistema jurídico burguês!

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

NO DIA DE ZUMBI RELEMBREMOS O ALMIRANTE NEGRO



Há 90 anos um dos episódios mais marcante na história do povo brasileiro, a Revolta da Chibata liderada por JOÃO CÂNDIDO (O Almirante Negro) marcou definitivamente nossa memória.
Perseguido pela direita durante toda sua vida, o Almirante Negro só foi reconhecido em vida por LEONEL BRIZOLA, quando governador do Rio Grande do Sul, que promoveu João Cândido a suboficial da brigada Militar.
A música de Aldir Blanc e João Bosco foi censurada pelos militares.
Segue o texto gravado e o original.

O Mestre-Sala dos Mares

João Bosco e Aldir Blanc

Letra censurada:

Há muito tempo nas águas da Guanabara
O dragão do mar apareceu
Na figura de um bravo marinheiro
A quem a história não esqueceu
Conhecido como almirante negro
Tinha a dignidade de um mestre-sala
E ao acenar pelo mar, na alegria das regatas
Foi saudado no porto
Pelas mocinhas francesas
Jovens polacas e por batalhões de mulatas

Rubras cascatas
Jorravam das costas dos negrosEntre cantos e chibatas
Inundando o coração
Do pessoal do porão
Que a exemplo do marinheiro gritava, então:

Glória aos piratas, às mulatas, às sereias,
Glória à farofa, à cachaça, às baleias,
Glória a todas as lutas inglórias
Que através da nossa história
Não esqueceram jamais.........

Salve o almirante negro
Que tem por monumento
As pedras pisadas do cais

(Mas, salve...)

Salve o almirante negro
Que tem por monumento
As pedras pisadas do cais

Letra liberada:


Há muito tempo nas águas da Guanabara
O dragão do mar apareceu
Na figura de um bravo feiticeiro
A quem a história não esqueceu
Conhecido como navegante negro
Tinha a dignidade de um mestre-sala
E ao acenar pelo mar, na alegria das regatas
Foi saudado no porto
Pelas mocinhas francesas
Jovens polacas e por batalhões de mulatas

Rubras cascatas
Jorravam das costas dos santos
Entre cantos e chibatas
Inundando o coração
Do pessoal do porão
Que a exemplo do feiticeiro gritava, então:

Glória aos piratas, às mulatas, às sereias,
Glória à farofa, à cachaça, às baleias,
Glória a todas as lutas inglórias
Que através da nossa história
Não esqueceram jamais.........

Salve o navegante negro
Que tem por monumento
As pedras pisadas do cais

(Mas, salve...)

Salve o navegante negro
Que tem por monumento
As pedras pisadas do cais

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

VEREADORES OU PATETAS


As pessoas simples não sabem o tempo que leva e quanto custa aprender a ler. Empenhei-me nisso durante oitenta anos, e não posso dizer que o tenha conseguido.
Johann Wolfgang Von Goethe

Causam-me mais ódio os políticos omissos do que os canalhas.
Essa atitude catatônica dos 03 vereadores do PT diante de toda sordidez que o governo do BONECO DE VENTRÍLOQUO causa em nossa cidade é simplesmente intolerável.
Vejam por exemplo o Doutor Wilson Peixoto; tem qualidades técnicas, intelectual e, no entanto, não passa de um “banana” que não tem coragem para dar um grito sequer contra toda essa impostura que é a continuação do governo FERNANDO JORDÃO que somente locupleta alguns poucos cleptocratas em nossa amada Angra, em detrimento da nossa população que se encontra no mais profundo abandono político.
O vereador Cordeiro é outro exemplo de total despreparo para a vida pública; até demonstra uma coragem acima de seus colegas de bancada, no entanto falta-lhe intelectualidade para agir como um verdadeiro líder e representante do povo. E o mais grave é que sua acessória não soma nada para sua legislatura, atuando como verdadeiros “aspônes”.
Maria da Guia, por sua vez, não surpreende ninguém; sempre agiu como se a fabula do “lobo e o cordeiro” fosse uma verdade inconteste, onde mudanças significativas só existissem para aqueles que são mais fortes, onde os mais fracos fossem somente meros coadjuvantes de um sistema imutável.
Assim, nos tornamos em zumbis de uma sociedade incapaz de se mobilizar: perdemos nosso senso crítico, nossa capacidade de se indignar e a cada dia nossa capacidade de sonhar com uma cidade melhor para nossos filhos.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

PARA QUEM QUEIRA CONHECER A VERDADE DOS FATOS


Bart Jones conhece profundamente a Venezuela e foi testemunha ocular da ascensão ao poder do presidente Hugo Chávez. Em No Me Callo!, conta-nos a história da infância pobre de Chávez, a sua carreira militar e os dez anos de actividade política clandestina, que culminaram na tentativa falhada de tomada do poder em 1992. Descreve a campanha eleitoral contra uma ex-Miss Universo, campanha em que Chávez acabou por conquistar a presidência, e os dramáticos reveses da fortuna que se seguiram: a luta pela reforma da economia venezuelana, a tentativa de golpe de Estado, em 2002, durante o qual foi sequestrado e esteve prestes a ser sumariamente executado, e a greve da indústria petrolífera que se seguiu. A narrativa completa de muitos destes episódios nunca antes tinha sido contada. No Me Callo! é uma obra escrupulosamente investigada e baseada em fontes, que convida a uma leitura como se de um romance se tratasse.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

CONDENARAM O DELEGADO QUE ABALOU A CLEPTOCRACIA


O delegado Protógenes Queiroz foi condenado pela Justiça Federal a três anos e quatro meses de prisão pelos crimes de violação de sigilo funcional e fraude processual. A pena foi substituída por restrições de direitos - Protógenes terá que prestar serviços à comunidade em um hospital público ou privado, "preferencialmente de atendimento a queimados", e fica proibido de exercer mandato eletivo e seu cargo de delegado federal.
A condenação de Protógenes confirma o que eu sempre digo, que a burguesia cleptocrata não perdoa seus servis que se rebelam contra ela.
O delegado que abalou a estrutura da burguesia brasileira com inúmeras operações que levou vários cleptocratas bilionários para o xilindró, entre eles Maluf e o banqueiro Dantas, agora vai experimentar a ira da elite brasileira; como o mito Prometheus que por ter roubado uma centelha de fogo da fornalha do deus Efesto para presentear aos mortais que comiam carne crua e sentiam frios, foi acorrentado em uma montanha para que eternamente todos os dias uma águia viesse comer seu fígado, Protógenes também vai passar por um longo calvário.
O erro de Protógenes foi esquecer que o Estado burguês é a própria Burguesia em seu pleno exercício de opressão, e ter se afiliado ao PCdoB achando que o PT de Lula lhe protegeria.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

KARL MARX PREVIU ESTA CRISE


Se os EUA fossem a Grécia, Portugal ou Irlanda estariam agora frente a uma iminente e dura intervenção do FMI. Mas como nossos vizinhos do norte são uma potência imperial com poderes bélico para destruir o mundo várias vezes, o seu banco central pode, a partir do nada, criar 600 bilhões de dólares e injetá-los na economia, a chamada "facilidade quantitativa", que ameaça afundar o papel do dólar americano como divisa de reserva mundial.
O Fed (Banco Central Americano) comporta-se como o vizinho cuja fossa sanitária transborda e escorre os seus dejetos mal cheirosos sobre todos os gramados em torno. Com a economia real em crise e com forte retração, Washington parece ter decidido dar início à liquidação do dólar e assim da sua dívida externa.
Nos próximos 02 anos saberemos aonde esta crise cambial do dólar americano levará o mundo. Espero que não seja para o inferno da guerra imperialista total.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

CIVILIZAÇÃO OU BARBÁRIE




por Emir Sader, na Carta Maior

Esse é o lema predominante no capitalismo contemporâneo. Universalizado a partir da Europa ocidental, o capitalismo desqualificou a todas outras civilizações como ‘bárbaras”. A ponto que, como denuncia em um livro fundamental, Orientalismo, Edward Said, o Ocidente forjou uma noção de Oriente, que amalgama tudo o que não é Ocidente: mundo árabe, japonês, chinês, indiano, africano, etc. etc. Fizeram Ocidente sinônimo de civilização e Oriente, o resto, idêntico a barbárie.

No cinema, na literatura, nos discursos, civilização é identificada com a civilização da Europa ocidental – a que se acrescentou a dos EUA posteriormente. Brancos, cristãos, anglo-saxões, protestantes – sinônimo de civilizados. Foram o eixo da colonização da periferia, a quem queriam trazer sua “civilização”. Foram colonizadores e imperialistas.

Os EUA se encarregaram de globalizar a visão racista do mundo, através de Hollywood. Os filmes de far west contavam como gesto de civilização as campanhas de extermínio das populações nativas nos EUA, em que o cow boy era chamado de “mocinho” e, automaticamente, os indígenas eram “bandidos, gestos que tiveram em John Wayne o “americano indômito”, na realidade a expressão do massacre das populações originárias.

Os filmes de guerra foram sempre contra outras etnias: asiáticos, árabes, negros, latinos. O país que protagonizou o mais massacre do século passado – a Alemanha nazista -, com o holocausto de judeus, comunistas, ciganos, foi sempre poupada pelos nortemamericanos, porque são iguais a eles – brancos, anglo-saxões, capitalistas, protestantes. O único grande filme sobre o nazismo foi feito pelo britânico Charles Chaplin – O grande ditador -, que teve que sair dos EUA antes mesmo do filme estrear, pelo clima insuportável que criaram contra ele.

Os países que supostamente encarnavam a “civilização” se engalfinharam nas duas guerras mundiais do século XX, pela repartição das colônias – do mundo bárbaro – entre si, em selvagens guerras interimperialistas.

Essa ideologia foi importada pela direita paulista, aquela que se expressou no “A questão social é questão de polícia”, do Washington Luis – como o FHC, carioca importado pela elite paulista -, derrubada pelo Getúlio e que passou a representar o anti-getulismo na politica brasileira. Tentaram retomar o poder em 1932 – como bem caracterizou o Lula, nada de revolução, um golpe, uma tentativa de contrarrevolução -, perderam e foram sucessivamente derrotados nas eleições de 1945, 1950, 1955. Quando ganharam, foi apelando para uma figura caricata de moralista, Jânio, que não durou meses na presidência.

Aí apelaram aos militares, para implantar sua civilização ao resto do país, a ferro e fogo. Foi o governo por excelência dessa elite. Paz sem povo – como o Serra prometia no campo: paz sem o MST.

Veio a redemocratização e essa direita se travestiu de neoliberal, de apologista da civilização do mercado, aquela em que, quem tem dinheiro tem acesso a bens, quem não tem, fica excluído. O reino do direito contra os direitos para todos.

Essa elite paulista nunca digeriu Getúlio, os direitos dos trabalhadores e seus sindicatos, se considerava a locomotiva do país, que arrastava vagões preguiçosos – como era a ideologia de 1932. Os trabalhadores nordestinos, expulsados dos seus estados pelo domínio dos latifundiários e dos coronéis, foi para construir a riqueza de São Paulo. Humilhados e ofendidos, aqueles “cabeças chatas” foram os heróis do progresso da industrialização paulista. Mas foram sempre discriminados, ridicularizados, excluídos, marginalizados.

Essa “raça” inferior a que aludiu Jorge Bornhausen, são os pobres, os negros, os nordestinos, os indígenas, como na Europa “civilizada” são os trabalhadores imigrantes. Massa que quando fica subordinada a eles, é explorada brutalmente, tornava invisível socialmente.

Mas quando se revela, elege e reelege seus lideres, se liberta dos coronéis, conquista direitos, com o avança da democratização – ai são diabolizadas, espezinhadas, tornadas culpadas pela derrota das elites brancas. Como agora, quando a candidatura da elite supostamente civilizada apelou para as explorações mais obscurantistas, para tentar recuperar o governo, que o povo tomou das suas mãos e entregou para lideres populares.

É que eles são a barbárie. São os que chegaram a estas terras jorrando sangue mediante a exploração das nossas riquezas, a escravidão e o extermínio das populações indígenas. Civilizados são os que governam para todos, que buscam convencer as pessoas com argumentos e propostas, que garantem os direitos de todos, que praticam a democracia. São os que estão construindo uma democracia com alma social – que o Brasil nunca tinha tido nas mãos desses supostos defensores da civilização.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

41 ANOS SEM MARIGHELLA


Há 41 anos, em 4 de novembro de 1969, CARLOS MARIGHELLA tombou na Alameda Casa Branca, em São Paulo, assassinado pelo delegado Sérgio Fleury e outros bandidos da Ditadura Militar com todo o aparato de inteligência da CIA (Serviço de Espionagem Americano).
No Partido Comunista (PCB), ao qual dedicou mais de 30 anos de vida, e pelo qual foi brilhante deputado federal constituinte em 1946, ou na Ação Libertadora Nacional (ALN), organização que fundou com outros heróis do povo brasileiro para combater a Ditadura fascista, Marighella não tinha outros objetivos senão a libertação da classe trabalhadora, o combate ao imperialismo norte-americano, a luta pelo socialismo e o amor incondicional ao próximo.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

DE HIMMLER A TUMA


Com a morte de Romeu Tuma este policial que tão bem servil aos fascistas na longa noite de 24 anos que mergulharam nossa amada Pátria, talvez venha à tona seu passado de perseguidor como delegado e diretor do famigerado DOPS daqueles que tiveram a impavidez de enfrentarem a Ditadura.
Romeu Tuma foi “homem forte” da polícia política em um dos períodos mais tenebrosos da vida republicana, a ditadura dos generais (1964-1988), como Himmler foi da SS de Hitler. Trabalhava analisando textos e depoimentos de militantes políticos presos, instruindo inquéritos para posteriores processos, como eram chamadas as farsas montadas na Justiça Militar; sabia das torturas e de seu silêncio pode-se inferir que com ela concordava.Era amigo e colega de trabalho do mais conhecido assassino profissional, torturador, vassalo e pistoleiro da ditadura: o delegado Sérgio Fleury.
Nunca teve problemas de consciência pelo sofrimento e mal que causou a inúmeras famílias de presos e perseguidos políticos, daí se conclui que seus princípios cristãos e sua propalada fé católica sempre foi uma rematada hipocrisia.
Indubitável que poderia ter sido processado pelos crimes cometidos contra os perseguidos políticos com base no art. 29 do Código Penal Brasileiro: “Quem, de qualquer modo, concorre para o crime incide nas penas a este cominada, na medida de sua culpabilidade.”
Morreu impune como muitos outros agentes da ditadura tripudiando sobre a justiça e sobre o sangue derramado dos heróis do povo brasileiro.
Com todo respeitos a dor dos familiares do delegado, nos resta, trazer a público as vísceras da crueldade, indiferença ao sofrimento alheio, oportunismo e hipocrisia deste porsonagem em memória das vítimas do período mais cruel da nossa história.

Mais uma razão para a direita odiar a ciência


Os ultraconservadores esperavam que os estudos do genoma humano revelassem que é a genética, e não a ordem social burguesa desigual, que determina quem vai desde o nascimento se tornar doente e pobre. Mas os nossos genes têm-se recusado a cooperar com os utópicos da pré-determinação genética.
O notável psicólogo Oliver James observou em seus estudos que a desigualdade afeta o que pensamos e planejamos para o futuro, com base em investigação de quanto e como a desigualdade reflete o que pode influenciar nossos genes.

Oliver James escreveu muito ao longo dos últimos anos sobre o que ele denomina "ansiedade pela riqueza" ("affluenza"), o "vírus" induzido pela desigualdade que nos conduz a um nível de desejo cada vez maior pelo dinheiro, posses e fama.


Segundo James, a affluenza varia amplamente na sociedade. Quanto mais desigual for a distribuição de renda e riqueza numa sociedade, mais affluenza e mais elevada a incidência de doenças mentais que a affluenza causa.
Os apologistas de ordens sociais burguesa, naturalmente, contestaram qualquer ligação entre doenças mentais e o ambiente econômico e social. Que pessoas de baixo rendimento sofram depressão a níveis duplos das pessoas de alto rendimento, acreditam estes defensores do sistema capitalista, sugerem apenas que pessoas pobres nasceram neste mundo com mais "deficiências pessoais" do que as ricas.
"A direita política acredita que os genes explicam amplamente porque os pobres são pobres, assim como terem uma probabilidade dupla de serem mentalmente doentes", como observa James. "Para elas, os pobres são lama genética, afundada na base do charco genético".

A prova científica destes estudos, clamava a direita uma década atrás, viria quando "avanços rápidos na genética e na neurociência" – o projeto genoma humano e toda a investigação em torno dele — revelasse a verdadeira "história da natureza humana".

A investigação do genoma humano, como opinou dez anos atrás o cientista político Charles Murray junto à organização de extrema-direita American Enterprise Institute, "está em vias de contrair e abalar o espaço para certas posições políticas".

"Estou prevendo que os provérbios da direita geralmente demonstrar-se-ão mais próximos do alvo do que os provérbios da esquerda", escreveu Murray, "e que muitas das causas da esquerda revelar-se-ão incompatíveis com o modo como os seres humanos são programados (wired) ".
Com mais completa informação genética em mãos, Murray contestou: "verificou-se que a população abaixo da linha de pobreza nos Estados Unidos tem uma configuração de constituição (makeup) genética relevante que é significativamente diferente da configuração da população acima da linha de pobreza".

De fato, como observa Oliver James numa nova análise, as coisas não se apresentaram deste modo de forma alguma. A "extensa investigação do genoma" desde o ano 2000 não revelou qualquer "constituição genética" que predisponha algumas pessoas para o "êxito" e a riqueza e outras para a doença e a pobreza.

"Agora sabemos", comenta James, "que os genes desempenham um pequeno papel na razão para um irmão, uma classe social ou um grupo étnico ter mais probabilidade de sofre de problemas de saúde mental do que outro".
O Journal of Child Psychology and Psychiatry apresentou exatamente o mesmo ponto de vista em editorial no inicio de 2010. A ciência séria, declara o editorial, agora concentra-se mais do que nunca "sobre o poder do ambiente" e "todos exceto os deterministas genéticos mais teimosos tiveram de rever o seu ponto de vista".
"Os fatores biológicos não existem num vácuo, hermeticamente selados de fatores sociais e ambientais", acrescentou na semana passada o bioético Daniel Godlberg, da Carolina do Norte, num comentário sobre a nova análise de Oliver James. "Assim, mesmo a tentativa de separar o biológico e o social não faz o mínimo sentido".

Assim, o que faremos com o nosso novo entendimento da genética? Como podemos construir sobre o que agora sabemos a fim de ajudar a moldar sociedades mais saudáveis? James sugeri uma sequência de três passos.

Primeiro, diz o psicólogo, vamos "criar uma sociedade na qual o máximo de oportunidade para uma vida mentalmente saudável e realizada seja mais importante do que enriquecer uma minúscula minoria".
Segundo, vamos "colocar o atendimento das necessidades das crianças, especialmente as mais jovens, à frente de todas as outras prioridades".
E, terceiro, vamos cultivar as condições sócio-econômicas que maximizem a saúde mental. James explica: "Isto significa criar maior igualdade econômica, condições de trabalho mais seguras, maior flexibilidade de emprego para pais de crianças pequenas e uma semana de 35 horas".

Não temos, reconhece James, "a mínima possibilidade de que isto aconteça até que os políticos entendam o que a ciência está nos dizendo”.

Os cientistas podem está nos dando respaldo para o fortalecimento do socialismo. E nós marxistas precisamos ouvir mais atentamente o que a ciência nos ensina.

MUNDO CONDENA BLOQUEIO A CUBA


Pela 19ª vez a ONU ( Organização das Nações Unidas) repudia o bloqueio que o imperialismo impõe a Cuba, e a mídia gorda em especial a TV-GLOBO não comenta 01 segundo sequer.
No último dia 26, por uma maioria de 192 votos contra dois (EUA & Israel) e três abstenções (Ilhas Marshall, Micronésia e Palau), a Assembléia Geral da ONU aprovou a resolução intitulada "Necessidade de por fim ao bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos da América contra Cuba".

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

EVO MORALES APROFUNDA O SOCIALISMO NA BOLÍVIA ENQUANTO QUE A EUROPA É VARRIDA PELO NEOLIBERALISMO.


Enquanto na Europa tentam aumentar a idade de aposentadoria e reduzir os benefícios, na Bolívia o governo de Evo Morales lança um projeto de lei que reduz a idade da aposentadoria de 65 para 58 anos para os homens e de 62 para 56 anos para as mulheres.

"Esta mudança é necessária. Nosso povo foi durante anos agravado. O tipo de trabalho que a maioria da população realiza é muito pesado. A diminuição da idade de reforma para os mineiros deve ser maior, para os 56 anos, e para os que vão ao fundo das minas deve diminuir para os 51 anos". Afirmou o presidente Evo Morales.

O vice-presidente, Álvaro García Linera, ressaltou que o projeto rompe com o processo neoliberal engendrado pela lei de 1996. O novo sistema boliviano abolirá as Administradoras de Fundos de Pensões (AFP), que agora são dirigidas pelo grupo suíço Zurich e pelo banco espanhol BBV.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

VILMA AMARGA CADEIA, TRAIÇÃO DOS COLEGAS E SOLIDÃO DE QUEM PERDE O PODER


O navio de Vilma dos Santos está corroído pela ferrugem da corrupção, alagado pela lama da hipocrisia e covardia de seus colegas, fragilizado pela falta de sensibilidade e saber de sua timoneira.
Quanto mais parece ter dificuldade em arrastar-se, mais as tempestades se acirram contra o navio. Os colegas de bordo, irmanados na traição, planejam nas escuras alcovas, distribuem censuras pela tripulação subalterna, vociferam contra a criadagem de sua antiga comandante. E, no auge da conspiração, pregam a iminente traição da colega naufraga.

Mau sintoma, é o fato de já há algum tempo notar-se que alguns ratos mais sábios ou mais tementes estão abandonando o navio em que navegavam no mar da corrupção sob o comando de Vilma dos Santos. São da casta dos Judas, dos covardes, dos infiéis colegas de crimes. Foram dóceis e fiéis servidores da comandante Vilma até há pouco tempo. Sussurram agora temerosas conspirações e sugerem com prudência um tempo novo para o velho navio, supõe-se que sob a sua discreta e temerosa liderança. Ou seja, têm a bravura da sua própria covardia. Mas quem, sendo desse navio, nunca se conformou com os comandos agora em ruína, olha com ironia, ceticismo e desconfiança, o ativismo sôfrego de tão prudentes arrependidos.
Dar o comando do navio em perigo aos ratos que o abandonam quando pressentem a agonia é talvez inútil, ou até perigoso. Não será melhor chamar novos comandantes, escolhidos entre aqueles que não foram nunca cúmplices da desastrosa viagem?

Como é de tradição, os ratos "fogem" para sofás mais seguros e com uma super ração do $queijo$ preferido. O problema é que o navio está cada vez mais velho e os novos "comandantes" desconhecem como vão calafetar os rombos... Não sei se hoje é ilegal o uso de raticida! Pelo menos, trataríamos dessa "praga" que infestou o Legislativo de Angra.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

VOX POPULI DIZ QUE DILMA GANHA COM SOBRA NO 2º TURNO


Depois de toda a polêmica envolvendo temas religiosos como o aborto, Serra atingiu 44% entre os entrevistados que se declararam evangélicos. Dilma tem 42%. Entre os que se declararam ateus, Dilma vence por 49% a 36%.
Entre os católicos praticantes Dilma tem 54% contra 37% do tucano. No segmento dos católicos não praticantes a petista consegue seu melhor desempenho, 55% contra 37% de Serra.
A petista ganha em todas faixas etárias. Já no recorte que leva em conta a escolaridade dos pesquisados, Serra vence entre os que tem nível superior por 47% a 40% da petista. No eleitorado com até a 4ª série do ensino fundamental Dilma tem 55% contra 38% do tucano.
Serra também vai melhor entre o eleitorado com mais renda. Entre os que declararam ganhar mais de cinco salários mínimos, ele tem 44% contra 42% da petista. Dilma tem seu melhor desempenho entre os mais pobres, que ganham até um salário mínimo, 61% a 31%.
Embora seja mulher Dilma tem índices melhores entre os homens. Conforme o levantamento ela tem 54% contra 38% de Serra no eleitorado masculino e 48% contra 40% do tucano no eleitorado feminino.
No recorte que leva em consideração a cor da pela Dilma atinge 59% entre os entrevistados que se declararam negros contra 29% de Serra. Entre os brancos, a petista tem 45% contra 44% do tucano.
Segundo o Vox Populi, 89% dos entrevistados disseram estar decididos enquanto 9% admitiram que ainda podem mudar de idéia. Entre os eleitores de Dilma a consolidação do voto é maior, 93%. No eleitorado de Serra, 89% disseram que estão decididos.
Na totalização Dilma teria 59% contra 39% de Serra.
Não vejo diferença quase nenhuma entre Dilma e Serra; porém, Dilma pelo seu passado nacionalista não entregaria o Petrobras/Pré-sal e não sucatearia as forças armadas como fez FHC.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

SEIS POR MEIA DÚZIA, O DILEMA DAS ESQUERDAS


por Justino de Sousa Junior
e Antonio Julio de Menezes Neto

Presume-se construir um caráter progressista em torno de Dilma através do artifício de mostrar o conservadorismo reacionário de Serra e de acusar Marina Silva de ter se pintado de "azul-tucano". Tal como no costume antigo, os marqueteiros de Dilma usam a carantonha de seu adversário para espantar os espíritos maus. Abriremos um parêntese para deixar claro que não vamos nos ocupar, por ora, de Serra e de sua gente, pois o consideramos o que de pior temos no quadro político brasileiro, representantes de uma direita retrógrada e de triste lembrança para os brasileiros. Assim, centraremos no "outro lado".

Se buscarmos parâmetro para verificar quem representa quem nesse quadro eleitoral através do financiamento das campanhas, verificaremos que, "nos últimos sete meses, o PT arrecadou R$ 44 milhões, enquanto a coligação PSDB, DEM, PPS, PMN e PT do B arrecadou R$ 19,4 milhões" ( Brasil de Fato, 26/08-01/09). Serão os pobres que estão financiando a campanha de Dilma?

Lembremos que o governo Lula foi o governo do "valerioduto"; da reforma da previdência; que colocou Meirelles no Banco Central e o "blindou", apesar das inúmeras denúncias de crime contra o sistema financeiro que o perseguiam; que contrariou setores progressistas ao favorecer o agronegócio, inclusive beneficiando as práticas produtivas que utilizam abusivamente agrotóxicos (o governo destinará 120 mil milhões ao agronegócio em 2010/2011 e cerca de 20 mil milhões para a agricultura camponesa); que elevou a produção do superávit primário ao longo do seu mandato para agradar ao FMI e à banca internacional; que recusou a avançar em medidas como a auditoria da dívida, o fim da DRU (a derrubada da CPMF passou a contragosto); elevação do percentual do PIB investido na educação (permaneceu praticamente o mesmo da era FHC); derrubada dos vetos de FHC ao Plano Nacional de Educação de 2001; regulamentação do Imposto sobre as Grandes Fortunas, e muitas outras.

Por outro lado, sobre aquele que seria o traço progressista distintivo do governo Lula, os números mostram que a "inclusão" dos pobres, ou as políticas assistencialistas, focalizadas, de "combate" (superficial) da pobreza, não afetam em nada a dinâmica da acumulação do grande capital; por isso devem ser vistas muito mais como concessões (além de irrisórias) necessárias e funcionais para a manutenção da ordem cada vez mais favorável ao grande capital.

Além de tudo, e o mais grave, Lula tem sido um dos maiores responsáveis pela desarticulação da esquerda e de qualquer projeto social anticapitalista, pela desmobilização, despolitização e cooptação dos movimentos sociais (vejam-se os casos da CUT, UNE etc.).

Para se ter uma idéia do favorecimento ao grande capital como contraface do "auxílio" à pobreza do atual governo, "só no primeiro mandato de Lula, os empresários tiveram um aumento de 400% dos seus lucros. Já o salário mínimo teve um aumento de 57% nesses oito anos" ( Brasil de Fato 30/07). Por sua vez, na era FHC os bancos lucraram R$ 34,3 mil milhões, enquanto que nos dois mandatos de Lula a previsão é de algo em torno de R$ 170 mil milhões, ou seja, cinco vezes mais (idem).

As prioridades do governo Lula podem ser vistas na proporção em que se distribuem os gastos sociais e os gastos com pagamento da dívida pública. Segundo dados do IPEA, nos últimos sete anos, o governo gastou 1,27 milhão de milhões de reais com juros. "Os gastos com juros (apenas com o pagamento dos juros), portanto, superam em oito vezes o que foi aplicado em educação e em 10 vezes os investimentos para o país crescer". Entre 2000 e 2007, o total de gastos da União com saúde, educação e investimento correspondeu a somente 43,8% do total das despesas com juros.

Em 2009, segundo a PNAD, o Brasil possuía 14,5 milhões de analfabetos e mais da metade dos domicílios não possuíam rede de esgoto. No entanto, o governo destinou 35,57% de seus recursos para amortizar a dívida contra 2,88% para a educação e 0,08% para saneamento. Seria aconselhável, também, darmos uma volta pelas periferias de nossas cidades e vermos a vergonha de nossas favelas e sabermos que o governo destinou 0,01% para habitação ( Brasil de Fato, 04/10/2010).

No ensino superior, criou o PROUNI (Programa Universidade para Todos), talvez inspirado num dos pais do neoliberalismo Milton Friedman, que propunha que o Estado pagasse bolsas para alunos pobres em escolas privadas. E fez muito marketing nos dois últimos anos com o Reuni (Programa de Apoio ao Plano de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais), quando passou os outros seis sem maiores investimentos. Tanto que o governo FHC, de tristíssima lembrança para a educação, conseguiu abrir mais vagas para alunos em seus oito anos de governo do que Lula em seus oito (ver INEP, Censo da Educação Superior).

Ao tempo em que se comemora a diminuição da pobreza no Brasil, cabe observar que a desigualdade entre rendimento do trabalho e os ganhos de propriedade no Brasil são maiores hoje do que no fim da década de 1980. O principal motor a acelerar essa disparidade são as altas taxas de juros que levam mais água aos moinhos do capital. O ex-presidente do IPEA, Marcio Pochmann, afirma que esses dados são incompatíveis com um país civilizado. "Nas nações com menor desigualdade, o rendimento do trabalho varia entre 60% e 70% do PIB e, conseqüentemente, a remuneração da propriedade fica entre 30% e 40%".

A diminuição da desigualdade social é resultado basicamente do Programa Bolsa Família (1% dos recursos da União), cujo investimento anual não atinge 10% dos recursos destinados ao pagamento apenas dos juros da dívida pública (que foi duplicada no governo Lula e já beira os 2 milhões de milhões de reais). Estima-se que este ano o pagamento de juros ficará em torno dos R$ 160 mil milhões, quase 14 vezes mais do que o consumido pelo Bolsa Família, que atende mais de 11 milhões de famílias – todos sabem a quem beneficiam esses juros! Além do mais, a "diminuição da desigualdade" é medida entre maiores e menores salários e não entre o rendimento do capital e o rendimento do trabalho.

Antes de nos contentarmos com o fato de que os outrora miseráveis foram elevados à categoria de pobres – ao mesmo tempo em que ajudam a consolidar o atual estado de coisas por gratidão aos benefícios recebidos e cruzam os braços, tornando-se uma massa dócil –, seria interessante observar como funciona o mecanismo sócio-econômico nas suas diversas facetas.

Descartada qualquer possibilidade de cogitação de Serra e sua turma reacionária (vide o seu vice), esse texto não pretende demover ninguém do voto na candidata Dilma, até porque na disputa com o tucano ela parece ser uma opção melhor. Sua pretensão é qualificar o debate, questionar as falácias que envolvem os argumentos que defendem a candidatura Dilma e afirmar que, em última instância, as duas candidaturas se encontram nos limites estreitos dos interesses do grande capital.

Trata-se, para os trabalhadores, para os "de baixo", de escolher, dentre os feitores, aquele que lhes pareça menos malvado e o chicote mais brando.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

VILMA PODE AMARGAR UMA LONGA PRISÃO


Arrogância, ignorância e certeza da impunidade resultam em delito passível de prisão; estes foram os ingredientes que levaram VILMA DOS SANTOS para o xilindró.
A prepotência de VILMA DOS SANTOS aliada a seu desconhecimento de que a Burguesia não tolera que pessoas do andar debaixo, como ela, pensem que são iguais as do andar de cima causou a sua desgraça social e política.
A presidente da CMAR deverá passar um período de no mínimo 20 dias na prisão, caso o processo siga o seu tramite legal e as testemunhas sejam ouvidas na próxima semana.
Havendo algum imprevisto na oitiva das testemunhas, como a enfermidade de alguma destas ou o não comparecimento por motivos justificável, o processo poderá se arrastar por meses e VILMA permanecer em cárcere, como ocorre em outros processos.
O fato é que, enquanto o processo não for instruído com os depoimentos das testemunhas; VILMA e seu advogado permanecerão reclusos.
VILMA por ser analfabeta não leu MAQUIAVEL, Pois se tivesse lido saberia que "na política, os aliados atuais são os inimigos de amanhã."

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

TWITTER RECONHECE QUE BLOQUEOU COMUNICAÇÃO DE CUBA


A Twitter reconheceu ter sido ela quem bloqueou o envio de mensagens através de celular a partir de Cuba e não o governo da ilha. "Desativamos os códigos longos para o envio de tweets via SMS", diz o informativo da Twitter. O comunicado surge depois de a agência de notícias espanhola EFE ter acusado o governo cubano de censurar este rede social. Esta mentira foi divulgada sem sequer contatarem as autoridades cubanas. "Cuba não bloqueia o acesso de nenhum cidadão ao envio de mensagens a redes sociais na Internet como a Twitter ou a Facebook, isso é uma calúnia contra o nosso país", afirmou o vice-ministro cubano da Informática e Comunicações, José Luis Perdomo. O caso é descrito em La Jiribilla .

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

CONSUMMATUM EST. POLÍCIA FEDERAL PRENDE VILMA DOS SANTOS



A Polícia Federal cumpriu mandado de prisão preventiva hoje contra a presidente da Câmara Municipal de Angra dos Reis (CMAR), VILMA DOS SANTOS.
A prisão foi noticiada há algumas semanas neste veiculo de informação. Sendo que, aqui, foi dito que não aconteceria antes do pleito eleitoral.
Temos poucos detalhes da operação policial, pois o processo corre em segredo de justiça. Mas, tínhamos dito que a continuidade delitiva de VILMA DOS SANTOS seria um dos pressupostos para a prisão preventiva.
Esperemos mais detalhes para darmos um parecer mais completo.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

DE MAQUIAVEL A FERNANDO JORDÃO


“Os homens têm menos escrúpulos em ofender quem se faz amar do que quem se faz temer, pois o amor é mantido por vínculos de gratidão que se rompem quando deixam de ser necessários, já que os homens são egoístas; mas o temor é mantido pelo medo do castigo, que nunca falha.”
(Nicolas Maquiavel)

Este ensinamento de Maquiavel vem sendo aplicado com eficácia por muitos séculos pelas classes dirigentes.
O interessante é que até mesmo um apedeuta como Fernando Jordão, que nuca leu um livro em sua vida, utiliza tal ensinamento de forma eficaz. Talvez a explicação disso se deva a tradição de seus antepassados que aprenderam em um passado longínquo e vem passando por meios de costumes de geração em geração.
Porém, existe uma nata da humanidade que subverte esta ordem perversa ditada por Maquiavel: são os humanistas, em especial os socialistas, como meus valorosos companheiros do PSOL, estes põem o amor ao próximo acima dos interesses fisiologistas e lutam como guerreiros, que mesmo sabendo que o sacrifício é inevitável, sabem que este sacrifício é a semente de um novo amanhã.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

SE A MODA PEGAR!


Caso Tiririca não comprove sua escolaridade, o TRE de São Paulo vai exigir que o palhaço lei em voz alta um texto e interprete, e, em seguida, transcreva um texto que será ditado pelos oficiais do TER.
Caso Tiririca não consiga provar que é alfabetizado terá seu registro cancelado e responderá por crime de falsidade ideológica.
Se a moda pegar, nas próximas eleições para a Câmara Municipal de Angra dos Reis ficarão muitos vereadores, hoje nos cargos, fora do pleito.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

TIRIRICA, VILMA, ESSIOMAR E AGUILAR


A polêmica em torno da eleição do palhaço Tiririca é uma boa oportunidade para que o Supremo Tribunal Federal diga o que é ser analfabeto.
A Carta da República dita que somente os alfabetizados são eleitores passivos, ou seja: podem concorrer a cargos eletivos.
Mas, o que é ser alfabetizado?
Entendo que o constituinte teve a intenção de reservar os cargos de direção do Estado para aquelas pessoas que tem noção das instituições e das responsabilidades da vida pública. O que sem duvida, demanda uma boa carga de leitura e conhecimento gerais.
Neste sentido, uma boa parte dos políticos de hoje estariam inabilitados para ocupar os cargos que ocupam.
Aqui em Angra dos Reis mesmo, pelo menos 03 políticos, VILMA DOS SANTOS, AGUILAR e ESSIOMAR, estariam fora do jogo do poder por serem analfabetos funcionais.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

PRISÃO DE VILMA É QUESTÃO DE TEMPO


Já noticiei aqui neste humilde espaço que Vilma dos Santos, a “presidenta” da Câmara Municipal será presa por crimes cometidos contra o patrimônio público.
Agora mesmo, o jornal DIÁRIO DO VALE vem noticiando que o Ministério Público pediu o bloqueio dos bens e a quebra de sigilo bancário da loura mais culta de Angra dos Reis, e o Judiciário atendeu ao pedido.
Nota-se, claramente, que o Ministério público está tomando todos os cuidados jurídicos necessários para pedir uma prisão preventiva solidamente fundamentada em provas.
Os indícios dos crimes hediondos cometido pela vereadora, que mais sabe falar o Português erudito em nossa cidade, são evidentemente estarrecedores.
Não seria muito bom, a bem da educação da nossa juventude, se a legisladora intelectual de Angra fosse presa?

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Hugo Chávez se reafirma como o maior líder de esquerda das Américas, e Fidel Castro comenta a vitória


O líder cubano Fidel Castro acusou nesta segunda-feira os Estados Unidos de impedir que o presidente venezuelano Hugo Chávez conseguisse os dois terços de cadeiras nas eleições parlamentares, apesar de seu aliado ter obtido uma 'grande vitória'.
"O inimigo conseguiu uma parte de seus propósitos: impedir que o Governo Bolivariano contasse com o apoio dos dois terços do Parlamento. O império talvez acredite que obteve uma grande vitória", afirmou Fidel em mais um artigo divulgado no site oficial Cubadebate.cu.
No entanto, acrescentou, a participação dos eleitores na votação de domingo "subiu para o recorde de 66,45% e o Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV, no poder) obteve 94 deputados de um total de 165, apesar de ter de compartilhar o poder com a oposição".
"A Revolução Bolivariana tem hoje o Poder Executivo, ampla maioria no Parlamento e um partido capaz de mobilizar milhões de lutadores pelo socialismo", escreveu o líder comunista em seu texto intitulado "O que eles querem é o petróleo da Venezuela".
"Os Estados Unidos contam na Venezuela com fragmentos de Partidos, com medo da Revolução e grosseiras ambições materiais. Não poderão recorrer ao golpe de Estado, como fizeram no Chile em 1973 e em outros países da América", acrescentou.
O ex-presidente cubano ressaltou ainda que o partido de Chávez venceu as eleições, "apesar de um grupo de bastardos personagens que, na companhia de mercenários da imprensa local escrita e falada, chegaram a negar, inclusive a liberdade de imprensa na Venezuela durante a campanha eleitoral".

terça-feira, 21 de setembro de 2010

LUIZ SERGIO DA NÓBREGA, ESSE NÃO MERECE O VOTO DE QUEM TRABALHA.


O deputado Luiz Sergio da Nóbrega que em 2006 declarou patrimônio quase irrisório para a Justiça Eleitoral, nesta eleição declarou um patrimônio de R$ 1.600.000,00 (um milhão e seiscentos mil reais), composto de apartamentos na Lagoa e em Copacabana, além de aplicações financeiras no Banco do Brasil.
Certamente o valor dos imóveis deve ser venal, pois sabemos que esse é o melhor artifício para fugir do fisco. No mínimo esses imóveis devem valer o triplo do declarado.
Para que o nobre deputado montasse o patrimônio declarado em 04 anos teria que ganhar R$ 40.000,00 (quarenta mil reais) por mês e não gastar com alimentação, moradia, transporte, saúde e educação de seus filhos.
Estamos diante de um gênio da economia! Que belo representante dos trabalhadores.
Os deputados Fernando Gabeira e Chico Alencar são dois fracassados na economia, pois estão na política há mais de 30 anos e moram de aluguel.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

MARAJÁ DA LIMPEZA


O Ministério Público esteve ontem por volta das 19:00 horas nas dependências da Câmara Municipal para investigar o fato de que o marido da “presidenta” Vilma dos Santos, Sr. Jovaci, estar emprestado para CMAR com salário superior a R$ 8.000,00 (oito mil reais) e pertencer ao quadro de servidores da faxina da Prefeitura Municipal de Angra.
O fato é grave e deve ser apurado com o rigor da Lei, sem contar que a “presidenta” é pessoa suspeitíssima.
Quanto ganha um faxineiro na Prefeitura?
O assalto ao dinheiro público é grande, o fedor de corrupção infesta a atmosfera angrense e os abutres continuam se alimentando da miséria do povo.
A promotora de justiça responsável pela vara criminal de Angra é tenaz, austera, impávida e extremamente competente. Tive o prazer de confrontá-la em júri popular na Comarca de Paraty e sei o quanto ela é competente.
Vilma e o marido marajá estão em maus lençóis!

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

ONDE ESTÁ VILMA DOS SANTOS?


O comentário geral na cidade é sobre o sumiço da “presidenta” da Câmara Municipal de Angra dos Reis, que desde a semana passada não dá as caras pelas ruas da cidade. Alguns populares especulam que “a nobre edil” estaria com medo de ser presa numa possível ação do Ministério público e a Policia Federal em conjunto.
Fato é que, as possibilidades da prisão preventiva de Vilma dos Santos são reais, tanto que as provas no caso da fraude de licitação do programa de computação implantado na CMAR são irrefutáveis.
Isto aliado aos inúmeros crimes cometidos contra o patrimônio público na gestão de Vilma dos Santos configura a continuação delitiva, o que é um dos pressupostos para a decretação da prisão preventiva por colocar a ordem pública burguesa em risco.
Contudo, Vilma dos Santos deve ficar tranqüila até o próximo 03 de outubro, pois dificilmente o Ministério Público pedirá sua prisão antes do fim da campanha eleitoral, para que não configure uma possível perseguição política.
Mas, se eu fosse Vilma dos Santos manteria meu “kit fuga” ao alcance das mãos!

terça-feira, 14 de setembro de 2010

MORTE AOS CORRUPTOS JÁ!


Vamos fazer um movimento popular para elegermos uma nova assembléia constituinte para mudarmos apenas uma clausula suma pétrea.

Proposta:
proponho a mudança do Art. 5º, inciso XLVII da Carta Magna da República, a, que passaria a ter a seguinte redação:

Inciso XLVII do Artigo 5º - não haverá pena de morte, salvo em casos de guerra declarada, nos termos do art. 84, XIX, e nos casos de corrupção com desvio de recursos públicos, de crime de mando ou pistolagem e nos crimes de peculato.

Motivos:
A corrupção e o peculato matam! E matam principalmente os mais pobres, as crianças e os idosos. Mata nos corredores dos hospitais superlotados e sem recursos; mata a esperança das crianças sem escola ou amontoadas em escolas que mais parecem depósitos humanos, sem condições mínimas para desenvolver suas potencialidades; mata os idosos que, depois de uma vida inteira de trabalho, sobrevivem com pensões indignas e precisam continuar trabalhando em bicos. Por essas mortes causadas pelos corruptos e ladrões do dinheiro público, pedimos que a lei os julgue adequadamente e, comprovada a culpa, os condene à pena capital com tiro na nuca em praça pública, para servirem de exemplo para aqueles que pensem em cometer os mesmo delitos.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

LUTAR CONTRA A CORRUPÇÃO, UM DEVER DE CIDADANIA


Em Angra dos Reis, a corrupção parece não ter fim. Em todas as esferas dos poderes Executivo e Legislativo existe corrupção. O povo angrense já não acredita que esta situação possa mudar. Existe uma cultura arraigada nas instituições que abrangem esse dois poderes. Até quando a nossa amada Angra vai suportar tanta corrupção? Esta é a pergunta que o povo vive fazendo nas ruas da cidade. Angra dos Reis é uma cidade de gente pacata, de gente que acha ser a esperança a última que morre. Só que enquanto o povo pensa assim, os corruptos que assaltaram o poder desviam milhões e milhões dos cofres públicos e nada acontece com eles. Em consequência disso o povo sofre com a miséria, a violência, a falta de educação, doenças, descaso com o transporte público e tudo de ruim que um povo possa sofrer. É preciso que seja feito algo urgente para que essa corrupção acabe ou ao menos diminua. Pois o que será de nossos filhos no futuro, vivendo numa cidade onde a corrupção impera em todas as esferas.

sábado, 11 de setembro de 2010

A MENTIRA DO 11 DE SETEMBRO


Após nove anos do 11 de Setembro de 2001, poucas pessoas pensantes e lúcidas acreditam nas mentiras que foram e são apresentadas pelas centrais de “desinformação imperialistas”, sob o controle do capital sionista.
A verdade é como o óleo e sempre vem a tona. Tal como no incêndio do Reichstag (parlamento alemão), em 1933 feito pelos nazistas para incriminar os comunistas, o 11 de Setembro foi uma operação gigantesca efetuada pela extrema-direita americana (provavelmente com apoio operacional da direita israelense) para promover a alteração no regime de direitos e garantias nos EUA. A histeria que deliberadamente provocou permitiu que os fascistas suprimissem grande parte dos direitos, liberdades e garantias que antes eram assegurados aos cidadãos americanos e aos estrangeiros nos EUA. Ao mesmo tempo permitiu desencadear guerras de agressão por todo o mundo, desde o Iraque até o Afeganistão.

O fascistificação do império americano é hoje um fato evidente, tanto no plano interno como externo. Conjugado isto com a sua decadência econômica e com a anunciada destruição do Dólar como divisa de reserva internacional, é de temer que a classe dominante americana empreenda uma fuga para a frente intensificando o belicismo.
As ameaças ao Irã, ao Yemen, à China, à Coréia do Norte, ao Paquistão, à Rússia, à Venezuela, a países da América Central somam-se às guerras atuais já em curso. O espectro nuclear assombra a humanidade mais uma vez.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

O AMAPÁ É AQUI


Foi preso na manhã de hoje em Macapá, capital do Estado do Amapá, durante a Operação Mãos Limpas, deflagrada pela Polícia Federal. O governador Pedro Paulo Dias (PP). O objetivo da operação é prender uma organização criminosa, composta por servidores públicos, agentes políticos e empresários, que praticava desvio de recursos públicos do Estado do Amapá e da União.
As investigações, que contaram com o auxílio da Receita Federal, Controladoria-Geral da União e do Banco Central (BC), começaram em agosto do ano passado. Foram apurados indícios de um esquema de desvio de recursos da União, que eram repassados à Secretaria de Educação do Estado do Amapá, provenientes do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef).
De acordo com informantes as investigações aqui em Angra dos Reis também têm o mesmo objetivos. E já foram identificados desvios de verbas públicas nos poderes Legislativo e Executivo municipal.
Segundo nosso informante, os envolvidos estão sendo investigados pelo Ministério Público, pelas práticas de crimes de corrupção ativa e passiva, peculato, advocacia administrativa, ocultação de bens e valores, lavagem de dinheiro, fraude em licitações, tráfico de influência, formação de quadrilha, entre outros crimes conexos.
Vereadores, secretários, prefeito e empresários estão sendo minuciosamente investigados.
Quem sabe a dona Justiça mostre sua cara e sua dureza por esta desgovernada Angra dos Reis!

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

MINISTÉRIO PÚBLICO NO ENCALÇO DE VILMA DOS SANTOS


Neste exato momento membros do Ministério Público encontram-se na Câmara Municipal de Angra dos Reis colhendo provas para as futuras ações penais que serão ajuizadas contra os ladrões do dinheiro público.
Vários servidores contratados (c.c) já deporão, agora é a vez de servidores do quadro de concursados.
O cerco está fechando em cima da “presidenta” da CMAR Vilma dos Santos.
A torcida pelo pedido de prisão é grande por parte da população politicamente consciente.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

HELOÍSA HELENA RETORNARÁ AO SENADO


Segundo a pesquisa do Instituto GAPE, as duas vagas para o Senado em Alagoas seriam ocupadas pela vereadora Heloísa Helena (PSOL), que somou 34% dos votos; e pelo senador Renan Calheiros (PMDB), que teve 20% da preferência das 1.055 pessoas entrevistadas dia 23 de agosto, em todas as regiões do Estado.


O candidato Benedito de Lira (PP) ficaria em terceiro lugar, com 11% dos votos dos alagoanos. Eduardo Bonfim, do PCdoB, somaria apenas 1% da preferência dos eleitores, assim como os candidatos Zé Costa (PPS), Álvaro Vasconcelos (PTB) e Paulo Nunes (PRTB), que só conseguiram somar um ponto na pesquisa. Os demais candidatos não foram citados durante as entrevistas.

sábado, 4 de setembro de 2010

VILMA DOS SANTOS CAMINHA PARA CADEIA


A vereadora Vilma dos Santos está a cada dia mais encrencada com a Justiça.
Segundo um informante da Polícia Federal, já foi elucidado o fato que o empresário que faturou mais de 01 milhão de reais dos cofres públicos, em licitação fraudada, não existe é apenas um laranja ou testa-de-ferro, como preferirem. Isso é a prova contundente que a mossa “presidenta” é uma gatuna de mão cheia.
Quando informei na matéria anterior que a Policia Federal esteve na Câmara Municipal e o TRANSPARENCIAANGRA me contestou dizendo que foi o Ministério Público, ambos restávamos corretos, pois o Ministério Público esteve na CMAR acompanhado da PF e apreenderam todos os arquivos e computadores, inclusive os dos gabinetes dos vereadores.
O interessante é que nenhum semanal local informou da operação policial, não é por menos que sofro calunias constantes da imprensa marrom de Angra.
Dá sorte a vereadora Vilma, se ela estivesse em Cuba ou na China seria executada em praça pública com tiro na nuca e a família seria obrigada a pagar o carrasco e a bala.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

POLÍCIA FEDERAL NA CAÇA DE VILMA, SERÁ?


A Polícia federal esteve na última sexta-feira na Câmara Municipal de Angra dos Reis fazendo busca e apreensão de documentos. De posse de um mandado de busca e apreensão, um dos delegados da Delegacia de Polícia Federal de Angra dos Reis acompanhado de dezenas de agente federais fizeram uma devassa nos documentos da Câmara Municipal.

O inquérito policial refere-se a um contrato de implantação de programa de computação que teria custado mais de 01 milhão de reais, sendo que o custo real não passaria de 100 mil reais.
Parece que o reinado da Dona Vilma dos Santos vai terminar em uma penitenciária.

Sabemos que este inquérito é apenas um das dezenas instaurado pela Polícia Federal para elucidar crimes de superfaturamento e corrupção nos poderes Legislativo e Executivo municipal.

Ontem alguns servidores da Câmara Municipal foram depor na Delegacia Federal.

Vêm argolas de aço por ai!!!

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

AS MENTIRAS DA MÍDIA E OS FATOS


Há 25 mil judeus no Irã. É a maior população judaica no Oriente Médio fora de Israel. Os judeus iranianos não são perseguidos nem sofrem abusos do estado; de fato, estão protegidos sob a constituição iraniana. São livres para praticar sua religião e para votar nas eleições. Não são parados e revistados em checkpoints, não são brutalizados por um exército de ocupação e não estão confinados numa colônia penal densamente povoada (Gaza) onde sejam privados dos meios básicos de subsistência. Os judeus iranianos vivem dignamente e gozam dos benefícios da cidadania.

O presidente iraquiano Mahmoud Ahmadinejad é demonizado pela mídia ocidental. É chamado de anti-semita e de "novo Hitler". Mas se essas alegações fossem verdade, então porque a maioria dos judeus iraquianos votou em Ahmadinejad nas recentes eleições presidenciais? Será possível que a maior parte do que se sabe sobre Ahmadinejad seja baseado apenas em boatos e em propaganda?

Este trecho apareceu num artigo da BBC:
"O gabinete (de Ahmadinejad) fez recentemente uma doação monetária para o Hospital Judaico de Teerã. É um dos quatro únicos hospitais judaicos de caridade no mundo e foi fundado com dinheiro da diáspora judaica – coisa notável no Irã onde mesmo as organizações locais de ajuda têm dificuldade em receber fundos do estrangeiro por medo de serem acusados de agentes estrangeiros".
Quando foi que Hitler alguma vez doou dinheiro para hospitais judeus? A analogia com Hitler é uma tentativa desesperada de lavagem cerebral aos americanos. Nada nos diz sobre quem realmente é Ahmadinejad.

As mentiras sobre Ahmadinejad não são diferentes das mentiras sobre Saddam Hussein ou Hugo Chávez. Os EUA e Israel estão tentando criar uma justificação para outra guerra. É por isso que a mídia credita a Ahmadinejad coisas que ele realmente nunca disse. Ele nunca disse que quer "varrer Israel do mapa". Essa é mais uma ficção. O autor Jonathan Cook explica o que disse realmente o presidente:
"Este mito tem sido interminavelmente reciclado desde que ocorreu um erro de tradução num discurso de Ahmadinejad dois anos atrás. Especialistas em farsi atestaram que o presidente iraniano, longe de ameaçar com a destruição de Israel, estava citando um antigo discurso do Aiatolá Khomeini no qual ele reassegura aos apoiadores da Palestina que "o regime sionista em Jerusalém" iria "desaparecer das páginas do tempo".

Ele não estava ameaçando exterminar judeus ou Israel. Estava comparando a ocupação israelense da Palestina com outros sistemas ilegítimos cujo tempo havia passado, incluindo os xás que outrora governaram o Irã, o apartheid na África do Sul e o império soviético. Não obstante, a tradução errônea sobreviveu e prosperou porque Israel e seus apoiadores a exploraram para seus próprios propósitos de propaganda" ("Israel's Jewish problem in Tehran", Jonathan Cook, The Electronic Intifada)
Ahmadinejad não representa qualquer ameaça para Israel ou para os EUA. Como todos no Oriente Médio, ele quer apenas um alívio da agressão israelense e norte-americana.

Isto é da Wikipedia:
"O Departamento de Estado dos EUA tem alegado discriminação no Irã contra judeus. De acordo com seu estudo, os judeus não podem ocupar posições importantes no governo e estão proibidos de servir nos serviços judiciário e de segurança e de tornar-se diretores de escolas públicas. O estudo diz que cidadão judeus podem obter passaportes e viajar para fora do país, mas a eles são freqüentemente negadas as permissões de múltiplas saídas normalmente concedidas a outros cidadãos. As alegações feitas pelo Departamento de Estado norte-americano foram condenadas pelos judeus iranianos. A Associação de Judeus de Teerã diz numa declaração, "nós judeus iranianos condenamos as declarações do Departamento de Estado dos EUA sobre as minorias religiosas iranianas, anunciamos que estamos totalmente livres para executar nossos deveres religiosos e não sentimos nenhuma restrição para realizar nossos rituais religiosos".
Em quem deveríamos acreditar: nos judeus que realmente vivem no Irã ou nos encrenqueiros do Departamento de Estado norte-americano?

Há seis açougues kosher, 11 sinagogas e diversas escolas hebraicas em Teerã. Nenhum funcionário de Ahmadinejad nem de qualquer outro governo iraniano fez qualquer tentativa de fechar essas instalações. Nunca. Judeus iranianos são livres para viajar (ou mudar-se) para Israel se assim o desejarem. Não estão aprisionados por um exército de ocupação. Não estão privados de alimentos ou remédios. Seus filhos não crescem com doenças mentais originadas do trauma da violência esporádica. Suas famílias não são atingidas por barcos armados atirando enquanto circulam nas praias. Seus apoiadores não são esmagados por escavadeiras ou atingidos na cabeça por balas de borracha. Não são atingidos por gás ou espancados quando fazem demonstrações pacíficas por suas liberdades civis. Seus líderes não são caçados e assassinados premeditadamente.

Roger Cohen escreveu um ensaio bastante cuidadoso sobre este tema para o New York Times. Diz ele:
"Talvez eu seja um pouco tendencioso em relação aos fatos mais do que a palavras, mas digo que a realidade da civilidade iraniana acerca dos judeus nos diz mais sobre o Irã – seu refinamento e cultura – que toda retórica inflamada. Isso pode ser devido a eu ser judeu e ter sido freqüentemente tratado com tanta gentileza no Irã. Ou talvez eu esteja impressionado com a fúria contra Gaza, trombeteada em posters e na TV iraniana, nunca se ter convertido em insultos ou violência contra judeus. Ou talvez seja porque eu esteja convencido de que a caricatura do Irã como "o Mullah Doido" e a comparação de qualquer vínculo com Munich em 1938 – uma posição popular em alguns círculos judaicos norte-americanos – seja incorreta e perigosa". ("What Iran's Jews Say", Roger Cohen, New York Times )
As coisas não são perfeitas para os judeus que vivem no Irã, mas são melhores do que para os palestinos que vivem em Gaza. Muito melhor.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

56 ANOS SEM O PRESIDENTE VARGAS


Há 56 anos Getulio Dorneles Vargas estourava seu coração com um tiro de revolver em defesa de seus ideais. Sua Carta Testamente ficou como uma bandeira pouco conhecida do povo brasileiro, seu legado permanecerá para sempre na memória dos brasileiros que sonham com um país soberano e mais igualitário.
Relembremos o belo e profundo texto do documento:

"Mais uma vez, a forças e os interesses contra o povo coordenaram-se e novamente se desencadeiam sobre mim. Não me acusam, insultam; não me combatem, caluniam, e não me dão o direito de defesa. Precisam sufocar a minha voz e impedir a minha ação, para que eu não continue a defender, como sempre defendi, o povo e principalmente os humildes.

Sigo o destino que me é imposto. Depois de decênios de domínio e espoliação dos grupos econômicos e financeiros internacionais, fiz-me chefe de uma revolução e venci. Iniciei o trabalho de libertação e instaurei o regime de liberdade social. Tive de renunciar. Voltei ao governo nos braços do povo. A campanha subterrânea dos grupos internacionais aliou-se à dos grupos nacionais revoltados contra o regime de garantia do trabalho. A lei de lucros extraordinários foi detida no Congresso. Contra a justiça da revisão do salário mínimo se desencadearam os ódios. Quis criar liberdade nacional na potencialização das nossas riquezas através da Petrobrás e, mal começa esta a funcionar, a onda de agitação se avoluma. A Eletrobrás foi obstaculada até o desespero. Não querem que o trabalhador seja livre.



Não querem que o povo seja independente. Assumi o Governo dentro da espiral inflacionária que destruía os valores do trabalho. Os lucros das empresas estrangeiras alcançavam até 500% ao ano. Nas declarações de valores do que importávamos existiam fraudes constatadas de mais de 100 milhões de dólares por ano. Veio a crise do café, valorizou-se o nosso principal produto. Tentamos defender seu preço e a resposta foi uma violenta pressão sobre a nossa economia, a ponto de sermos obrigados a ceder.



Tenho lutado mês a mês, dia a dia, hora a hora, resistindo a uma pressão constante, incessante, tudo suportando em silêncio, tudo esquecendo, renunciando a mim mesmo, para defender o povo, que agora se queda desamparado. Nada mais vos posso dar, a não ser meu sangue. Se as aves de rapina querem o sangue de alguém, querem continuar sugando o povo brasileiro, eu ofereço em holocausto a minha vida.



Escolho este meio de estar sempre convosco. Quando vos humilharem, sentireis minha alma sofrendo ao vosso lado. Quando a fome bater à vossa porta, sentireis em vosso peito a energia para a luta por vós e vossos filhos. Quando vos vilipendiarem, sentireis no pensamento a força para a reação. Meu sacrifício vos manterá unidos e meu nome será a vossa bandeira de luta. Cada gota de meu sangue será uma chama imortal na vossa consciência e manterá a vibração sagrada para a resistência. Ao ódio respondo com o perdão.



E aos que pensam que me derrotaram respondo com a minha vitória. Era escravo do povo e hoje me liberto para a vida eterna. Mas esse povo de quem fui escravo não mais será escravo de ninguém. Meu sacrifício ficará para sempre em sua alma e meu sangue será o preço do seu resgate. Lutei contra a espoliação do Brasil. Lutei contra a espoliação do povo. Tenho lutado de peito aberto. O ódio, as infâmias, a calúnia não abateram meu ânimo. Eu vos dei a minha vida. Agora vos ofereço a minha morte. Nada receio. Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na História." (Rio de Janeiro, 23/08/54 - Getúlio Vargas)